Síndrome de Ménière

Há tempos quero escrever sobre ela. Primeiro eu queria pedir socorro mas como não tinha muita esperança fui deixando. Hoje gostaria de ajudar a quem estivesse como eu naqueles tempos.

É uma doença que não sabem dizer exatamente a causa e nem o tratamento. Passei por muitos médicos e nunca consegui mais do que eu lia na internet. Os sintomas são horríveis, principalmente em casos como  meu que era bilateral com sintomas extremos. De repente eu perdia a noção de espaço e tudo balançava. Uma tontura infernal acompanhada de vômitos e às vezes diarreia.  Eu mal conseguia segurar a cabeça. Não conseguia dar um passo sem ajuda. Muitas vezes fui arrastada pro carro pra ir para o pronto socorro pois em virtude dos vômitos os remédios não faziam efeito. As crises duravam de 4 até 12 horas sem trégua. No hospital, com remédios por via venosa duravam umas 4 ou 5 horas. Mas chegar no hospital era um tormento. Claro que pra aliviar os piores sintomas, porque, a tontura normal onde conseguimos com um pouco de esforço caminhar, comer etc durava mais 24 horas. Temos um sintoma que é o ouvido tampado que nos alerta para uma crise iminente. Um dia, 2 ou até 4 dias de espera. Neste período não dirigia, não ficava sozinha  e mantinha os remédios e o celular ao meu alcance. As crises eram semanais e às vezes mais. Já tive duas no mesmo dia. Nas primeiras vezes quando estava sozinha e a crise vinha, ligava pra primeira pessoa que estivesse mais próxima. Síndica, amiga, filha …. impossível ficar sozinha. Perdia o desconfiômetro e só queria ajuda. Lastimável. A todas esses anjos que me socorreram nestes momentos, agradeço do fundo da minha alma. Nunca vou esquecer. O amparo do meu marido, meu amor, que não mediu esforços pra me ajudar foi incondicional. Amor é tudo.

Após trocar de médico por várias vezes e motivos, encontrei  um amigo que também teve há alguns anos e que depois da via sacra como eu tive, ele encontrou na medicina alternativa um alívio. Homeopatia  e Acupuntura.  E fui atrás. Ele me deu duas indicações e procurei com urgência. Não aguentava mais. Comecei então a tomar diversos remédios para melhorar a energia e a baixa imunidade,  bem como remédios chineses que me ajudaram com o que acham que seja a causa (vento no fígado) e sessões de acupuntura.  Parece estranho mas podem crer,  tem sentido. Além dos remédios, suspendi a ingestão de todos os termogênicos e outros alimentos. Por exemplo: Café, chocolate, canela e todos os temperos (só posso temperos aéreos como cheiro verde, sálvia, alecrim etc), Cebola e alho nem pensar. Nozes, amêndoas, castanhas, coco e tudo o que pode ser transformado em óleo tive que abolir. Cozinhar somente com manteiga e azeite extra virgem de boa qualidade. Pra mim foi a chave do mistério que há meses me torturava. Os médicos convencionais só falavam em café e chocolate e isso pra mim não era suficiente. Descobri que minha alimentação se baseava em tudo o que não podia. E bastante. O exagero de consumo desses alimentos extrapolavam todos os limites. Quando tirei tudo radicalmente e comecei com os remédios alternativos tudo melhorou. Meu ouvido nunca mais entupiu e estou podendo sair, dirigir e programar saídas e viagens. Tomara que eu esteja, como meu amigo, no caminho certo. Estou confiante. Pra nós deu certo.

Rita Gargioni

04.02.2020 – Até agora continuo em dieta dos alimentos acima e continuo disposta sem nenhum sinal que o Menière irá voltar.

09.09.2020

Em março com o surgimento do Covid e do “fique em casa” abandonei consideravelmente minha dieta, me achando curada. Ledo engano. Em julho começou tudo de novo. Crises, hospital etc. Voltei atrás rapidamente e recomecei a dieta. Aos poucos fui ficando melhor, com crises fracas e agora estou já há 1 mês sem crises. Neste meio tempo vi uns depoimentos de pretensos doentes, falando que abandonaram o glútem e também estavam já sem crises. Bem, no desespero a gente tenta tudo não é? Então, abandonei o glútem também. Continuo com o tratamento homeopático e a acupuntura. Bem, com tantos caminhos no final das contas não sei dizer o que me fez ficar melhor. O ouvido continua meio entupido, escuto muito zumbido mas não tive crises. E isso já é um alívio. Vou dando notícias.

10.03.2021 –

Meses complicados – Tive muitas crises leves, abandonei parte da dieta radical, usando meu bom senso.  Indo ao otorrino para controle soube de 2 caminhos a seguir.  Uma injeção no ouvido e a   existência de um aparelho MeniQ que ajudaria  fazendo pressão no ouvido e empurrando o líquido para o outro lado. O aparelho vem da Suécia e pelo que soube algumas pessoas estão tendo dificuldades de receber por causa da Alfândega Brasileira. Bem, como  eu tinha uma amiga de férias por lá consegui comprar para entregar no endereço dela. O curioso é que eu pra variar entrei no site pra comprar e tive que desligar porque tinha um compromisso. No outro dia o fiz novamente e sem perceber que já tinha um no carrinho, comprei outro. Sempre faço isso, que coisa.  Bem,  em uma semana eu recebi (2) através da minha amiga.  Obrigada querida, nunca vou esquecer este grande favor.  Comecei então o tratamento com ele, fazendo pressão 3 a 5 vezes ao dia. É muito fácil e o aparelho cabe em qualquer bolsa podendo levar para todos os lugares sem problemas. Tenho feito religiosamente e na próxima vez no otorrino talvez seja postergada a injeção.

e.t. agora por causa da minha confusão tenho um aparelho novo, fechado que gostaria de vender.  Se alguém se interessar me mande um whats  11. 999767478

Rita Gargioni

8 comentários Adicione o seu

  1. Tereza disse:

    Amiga importante esta sua exposição .
    Conheci este transtorno pelo seus relatos mas não imaginei que o grau de sofrimento era tão intenso .
    Fico feliz que você tenha conseguido um equilíbrio com as mudanças de hábitos.
    Que tudo possa se equilibrar na sua vida

  2. AlaideBorille disse:

    Amiga, que culpa eu sinto, por não saber da intensidade do problema. Nunca me falaste, ou melhor, uma vez disseste que estavas c problemas nos ouvidos, e q isso te deixava mal.
    … e por isso não poderias vir até aqui.
    Que bom q achaste o caminho… metade do tratamento
    Fé e esperança, que os sintomas ficarão sobre controle.
    Um beijo grande da amiga que te ama c irmã.

  3. Cleusa Bordini disse:

    Que benção Rita achar uma saída. Com certeza vai continuar dando certo

  4. Bruno Ventura disse:

    Mana
    As vezes temos barreira que parecem não conseguimos ultrapassar. A doença é uma destas que sem o apoio da família e amigos fica quase impossível. Nós as vezes estamos tão longe. O maridão graças a Deus está perto e pode realmente ajudar. Meu amigo Tarcísio meu reconhecimento

  5. Caroulyne disse:

    Boa tarde Rita!

    Que exposição de caso maravilhosa! Tenho 30 anos e tive uma crise com sintomas da síndrome do Méniére… Foi horrivel! Minha filha tinha apenas 7 meses e eu não tinha estabilidade para pega-la no colo… Graças a Deus foi somente uma crise, mas os médicos deixaram claro que posso ter outras. Obrigada por dividir sua história e colocar o caminho que você tomou para contornar a doença!

    ah… amei as receitas e o nome do site rsrsrs
    parabéns!

  6. CIRO BRILHANTE disse:

    Rita,ñ tinha ideia deste sofrimento todo,MAS sabes que podes contar sempre comigo,vou me informar mais e ver se consigo de alguma forma ajudar.Por hora vou orar muito para que o pai celestial intercede e traga a cura.bjinhos.

  7. Selma A N Evangelista disse:

    Nossa, Rita, que bom que encontraste o caminho do bem estar.
    Não é fácil abandonar alimentos que fazem parte da nossa cultura, da nossa memória afetiva, mas a vida, a saúde, estão acima de tudo.
    Saudades.
    Beijos.

  8. Maria da Graça Malafaia disse:

    Prima querida!
    Não sabia desse teu problema!
    Que coisa séria!
    Mas, graças a Deus, tudo indica q estás no caminho certo!
    Torcendo muito para que isso aconteça!
    Bjo!
    Graça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *