Síndrome de Ménière

Há tempos quero escrever sobre ela. Primeiro eu queria pedir socorro mas como não tinha muita esperança fui deixando. Hoje gostaria de ajudar a quem estivesse como eu naqueles tempos.

É uma doença que não sabem dizer exatamente a causa e nem o tratamento. Passei por muitos médicos e nunca consegui mais do que eu lia na internet. Os sintomas são horríveis, principalmente em casos como  meu que era bilateral com sintomas extremos. De repente eu perdia a noção de espaço e tudo balançava. Uma tontura infernal acompanhada de vômitos e às vezes diarreia.  Eu mal conseguia segurar a cabeça. Não conseguia dar um passo sem ajuda. Muitas vezes fui arrastada pro carro pra ir para o pronto socorro pois em virtude dos vômitos os remédios não faziam efeito. As crises duravam de 4 até 12 horas sem trégua. No hospital, com remédios por via venosa duravam umas 4 ou 5 horas. Mas chegar no hospital era um tormento. Claro que pra aliviar os piores sintomas, porque, a tontura normal onde conseguimos com um pouco de esforço caminhar, comer etc durava mais 24 horas. Temos um sintoma que é o ouvido tampado que nos alerta para uma crise iminente. Um dia, 2 ou até 4 dias de espera. Neste período não dirigia, não ficava sozinha  e mantinha os remédios e o celular ao meu alcance. As crises eram semanais e às vezes mais. Já tive duas no mesmo dia. Nas primeiras vezes quando estava sozinha e a crise vinha, ligava pra primeira pessoa que estivesse mais próxima. Síndica, amiga, filha …. impossível ficar sozinha. Perdia o desconfiômetro e só queria ajuda. Lastimável. A todas esses anjos que me socorreram nestes momentos, agradeço do fundo da minha alma. Nunca vou esquecer. O amparo do meu marido, meu amor, que não mediu esforços pra me ajudar foi incondicional. Amor é tudo.

Após trocar de médico por várias vezes e motivos, encontrei  um amigo que também teve há alguns anos e que depois da via sacra como eu tive, ele encontrou na medicina alternativa um alívio. Homeopatia  e Acupuntura.  E fui atrás. Ele me deu duas indicações e procurei com urgência. Não aguentava mais. Comecei então a tomar diversos remédios para melhorar a energia e a baixa imunidade,  bem como remédios chineses que me ajudaram com o que acham que seja a causa (vento no fígado) e sessões de acupuntura.  Parece estranho mas podem crer,  tem sentido. Além dos remédios, suspendi a ingestão de todos os termogênicos e outros alimentos. Por exemplo: Café, chocolate, canela e todos os temperos (só posso temperos aéreos como cheiro verde, sálvia, alecrim etc), Cebola e alho nem pensar. Nozes, amêndoas, castanhas, coco e tudo o que pode ser transformado em óleo tive que abolir. Cozinhar somente com manteiga e azeite extra virgem de boa qualidade. Pra mim foi a chave do mistério que há meses me torturava. Os médicos convencionais só falavam em café e chocolate e isso pra mim não era suficiente. Descobri que minha alimentação se baseava em tudo o que não podia. E bastante. O exagero de consumo desses alimentos extrapolavam todos os limites. Quando tirei tudo radicalmente e comecei com os remédios alternativos tudo melhorou. Meu ouvido nunca mais entupiu e estou podendo sair, dirigir e programar saídas e viagens. Tomara que eu esteja, como meu amigo, no caminho certo. Estou confiante. Pra nós deu certo.

Rita Gargioni

04.02.2020 – Até agora continuo em dieta dos alimentos acima e continuo disposta sem nenhum sinal que o Menière irá voltar.

09.09.2020

Em março com o surgimento do Covid e do “fique em casa” abandonei consideravelmente minha dieta, me achando curada. Ledo engano. Em julho começou tudo de novo. Crises, hospital etc. Voltei atrás rapidamente e recomecei a dieta. Aos poucos fui ficando melhor, com crises fracas e agora estou já há 1 mês sem crises. Neste meio tempo vi uns depoimentos de pretensos doentes, falando que abandonaram o glútem e também estavam já sem crises. Bem, no desespero a gente tenta tudo não é? Então, abandonei o glútem também. Continuo com o tratamento homeopático e a acupuntura. Bem, com tantos caminhos no final das contas não sei dizer o que me fez ficar melhor. O ouvido continua meio entupido, escuto muito zumbido mas não tive crises. E isso já é um alívio. Vou dando notícias.

Rita Gargioni

8 comentários Adicione o seu

  1. Tereza disse:

    Amiga importante esta sua exposição .
    Conheci este transtorno pelo seus relatos mas não imaginei que o grau de sofrimento era tão intenso .
    Fico feliz que você tenha conseguido um equilíbrio com as mudanças de hábitos.
    Que tudo possa se equilibrar na sua vida

  2. AlaideBorille disse:

    Amiga, que culpa eu sinto, por não saber da intensidade do problema. Nunca me falaste, ou melhor, uma vez disseste que estavas c problemas nos ouvidos, e q isso te deixava mal.
    … e por isso não poderias vir até aqui.
    Que bom q achaste o caminho… metade do tratamento
    Fé e esperança, que os sintomas ficarão sobre controle.
    Um beijo grande da amiga que te ama c irmã.

  3. Cleusa Bordini disse:

    Que benção Rita achar uma saída. Com certeza vai continuar dando certo

  4. Bruno Ventura disse:

    Mana
    As vezes temos barreira que parecem não conseguimos ultrapassar. A doença é uma destas que sem o apoio da família e amigos fica quase impossível. Nós as vezes estamos tão longe. O maridão graças a Deus está perto e pode realmente ajudar. Meu amigo Tarcísio meu reconhecimento

  5. Caroulyne disse:

    Boa tarde Rita!

    Que exposição de caso maravilhosa! Tenho 30 anos e tive uma crise com sintomas da síndrome do Méniére… Foi horrivel! Minha filha tinha apenas 7 meses e eu não tinha estabilidade para pega-la no colo… Graças a Deus foi somente uma crise, mas os médicos deixaram claro que posso ter outras. Obrigada por dividir sua história e colocar o caminho que você tomou para contornar a doença!

    ah… amei as receitas e o nome do site rsrsrs
    parabéns!

  6. CIRO BRILHANTE disse:

    Rita,ñ tinha ideia deste sofrimento todo,MAS sabes que podes contar sempre comigo,vou me informar mais e ver se consigo de alguma forma ajudar.Por hora vou orar muito para que o pai celestial intercede e traga a cura.bjinhos.

  7. Selma A N Evangelista disse:

    Nossa, Rita, que bom que encontraste o caminho do bem estar.
    Não é fácil abandonar alimentos que fazem parte da nossa cultura, da nossa memória afetiva, mas a vida, a saúde, estão acima de tudo.
    Saudades.
    Beijos.

  8. Maria da Graça Malafaia disse:

    Prima querida!
    Não sabia desse teu problema!
    Que coisa séria!
    Mas, graças a Deus, tudo indica q estás no caminho certo!
    Torcendo muito para que isso aconteça!
    Bjo!
    Graça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *